Universidade de São Paulo
Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
VI Colóquio OS ESTUDOS LEXICAIS EM DIFERENTES PERSPECTIVAS
São Paulo, 18-19 de novembro de 2010

A terminologia da Educação Física pode ser normalizada? José Guilmar Mariz de Oliveira
* Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo
** Instituto de Cinesiologia Humana de São Paulo

Resumo:

Apresentação de evidências que demonstram a inadequação e a ambiguidade do termo Educação Física, cuja sustentação terminológica atual se dá principalmente em razão da tradição da nomenclatura, pertinente e justificada à época de seu aparecimento. Até que ponto a tradição deve sobrepor a fundamentação teórica e a argumentação lógica disponíveis na preferência terminológica? A dualidade “corpo e mente”, “físico e intelectual” nem mesmo didaticamente tem sido sugerida em razão da indissociabilidade característica do ser humano. Quais as possíveis contribuições dos especialistas em Terminologia na busca de um termo mais adequado? A perspectiva da utilização do termo Cinesiologia Humana em substituição à Educação Física. Destaque à diferenciação entre Educação Física e Esporte, consideradas como manifestações, instituições e práticas distintas. A frase “O que quer que seja Educação Física, Esporte é que não é.” enfaticamente escrita e dita, tem causado, invariavelmente, perplexidade a leitores e ouvintes, orientados, principalmente, por uma compreensão baseada no senso comum. Possibilidades ontológicas para a diferenciação dos conceitos Educação Física e Esporte em relação a suas independências e relações. Análise do Esporte enquanto palavra polissêmica. Preocupação com a necessidade de expressar terminologicamente a prática do Esporte, isto é, a necessidade da verbalização da prática do Esporte por meio de verbo único e específico; vários verbos indicam competição, mas não necessariamente pertinente ao Esporte. A possibilidade da utilização e dicionarização do verbo “Esportear”.


Referência Bibliográfica:
Mariz de Oliveira, J. G. A terminologia da Educação Física pode ser normalizada? Caderno de Resumos, VI Colóquio “Os Estudos Lexicais em Diferentes Perspectivas”. São Paulo: Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas, 2010, página 9.